DOMINADOR, Switcher, submissa, escrava, Sádico, Partner

Nos protocolos do BDSM temos algumas posições, que identificam os participantes das comunidades, e definem os tratamentos mútuos, posturas  e  condutas,  vamos falar dos principais, tem outros,  cada hora uma pessoa cria uma nova definição surrealista pra definir um tipo de conduta de tal elemento.

 

Vamos começar pela mais fácil. (só lembrando que estou usando o termo masculino, mas nada difere entre Dominador=Dome, submissa = submisso.

 

A submissa, a situação de submissa podemos considerar ser um estado de espírito, normalmente uma submissa já traz esse instinto da vida baunilha, quando ela se descobre no BDSM, facilmente consegue associar momentos e acontecimentos passados que fica bem explicado no BDSM, se dão muito bem em profissões que seguem protocolos e  dedicação, caso de enfermagem, professoras, etc,  não quer dizer que não sejam ótimas empresárias, presidentes, artistas etc, submissas tem uma capacidade  de superação fantástica, normalmente se frustram em relacionamentos onde o parceiro também tende a ter pouca iniciativa, que a obriga a ser a cabeça do relacionamento. A submissa não precisa de um DONO pra ter esse status, mas é algo que lhe agrada demais, normalmente entra em relacionamentos D/s, com acordos bem definidos e até limitados, acordos que estão em constante modificação pela evolução do seu relacionamento D/s.

Nota. Não é porque a pessoa é submissa que ela tem as qualidades para entrar no mundo BDSM,  uma submissa só se sentira bem no meio BDSM, se tambem, tiver pensamentos bem liberais, estar disposta a ir contra os principios que aprendeu na sociedade, ter o simples e verdadeiro prazer em realizar o Dominador das variadas formas, incluindo ter o prazer de dividi lo com outras submissas se assim ele quiser entre outras coisas.

 

A escrava, a situação de escrava obrigatoriamente precisa de um DONO, ela pouco se difere da submissa no comportamento,  o que difere ela da uma submissa é o tipo de entrega, tendo o seu prazer em obedecer cegamente e as vezes idiotamente tudo que lhe for ordenado, ela leva a submissão ao extremo e raramente mede as consequências dos seus atos, logo a unica diferença da escrava e da submissa é só que a escrava não coloca limites na Ds.

 

24/7 - Uma Ds pra ser considerada 24/7, é pra um grupo muito pequeno, nós vemos centenas de casais falarem que  tem uma Ds 24/7, mas 99% daqueles que declaram ter esse tipo de Ds, na verdade distorcem a simplicidade dessa relação pra se enquadrarem e ganharem status na comunidade, uma escrava 24/7 em nada difere de uma simples escrava na entrega, a diferença esta que o Dono é o mundo da escrava, ela passa 24 horas do dia disponível ou fazendo algo ligado ao Dono.

Ao contrário do que dizem, existe muitos casais que vivem assim, é fácil de desclassificar uma escrava que se intitula 24/7.

A escrava trabalha fora? se trabalha não existe 24/7.

A escrava compromissos como estudo? se ela tem compromissos como estudo, faculdade e outros, não existe 24/7. Simples assim.

 

Avulsa, vários praticantes optam por não ter uma Ds, não quer ou não tem um DONO ou assumir uma submissa, por motivos diversos, é costume serem praticantes experientes, confiáveis e conhecidos, Avulsa é uma condição muito usada principalmente pelas masoquistas que preferem não estarem limitadas em suas experiências, ou não gostam ou não podem estar envolvidas, ou controladas. Quase sempre  acabam sendo "discriminadas" e ao mesmo tempo desejadas pelos DOMINADORES SÁDICOS, que  na grande maioria  não tem capacidade ou maturidade para lidar com elas.

 

PARTNER, tem a mesmas caracteristicas das Avulsas, porem com um ligação  mais próxima com uma determinada pessoa, normalmente diferentemente da Avulsa, que encerra o realcionamento após a sessão, a Partner costuma manter um laço de respeito e até uma certa fidelidade  com um Top, apesar da obrigação não ser algo oficial. Costuma se dizer sou partner de fulano, o que quer dizer estar envolvido com tal pessoa, pode estar rolando uma Ds leve ou apenas sessões.

 

O DOMINADOR, sinceramente vejo no DOMINADOR, a mesma coisa que a submissa, um estado de espírito, e também carrega esse instinto na vida baunilha, do mesmo jeito que ele lidera, comanda, controla uma submissa no meio BDSM, ele age na vida baunilha, os DOMINADORES que tive o prazer e desprazeres de conhecer,  eu consegui separar três tipos.

         DOMINADOR (DOMME) NATURAL,  normalmente são tranquilos, pouco arrogantes, e até bem divertidos, aqueles e aquelas que conheci a vida pessoal, sempre são bem sucedidos, estabilizados e com bons conhecimentos de BDSM e da vida. Maioria das DOMMES que admirei e que conheci, também eram bem sucedidas em seus negócios pessoais.

        DOMINADOR COMPLEXADO,  sempre querendo mostrar que sabe, se ofende com qualquer situação, dificilmente gosta de mudar seus pensamentos e condutas.

        DOMINADOR FRUSTADO,  pra mim o pior de todos, sempre de mau humor, gosta de postura, típico estereótipo do DOMINADOR, bruto, mal encarado, se ofende com qualquer coisa.

 

Vou ser radical na minha colocação, um DOMINADOR de verdade, independente da postura no BDSM, tem que ser uma pessoa razoavelmente bem sucedida pessoalmente, e não estou falando de dinheiro, porque sabemos a muitas formas ilegais de conseguir, mas são coisas totalmente falsas e conflitantes, a pessoa querer mostra que é um DOMINADOR ou DOMME, ser respeitado e valorizado, se mal tem condição de pagar um café!!!, que tipo de DOMINADOR que depois de dominar a submissa, entra em casa na pontinha do pé para não ser escrachado pela esposa? .... que tipo de DOMINADOR que passa o dia dizendo sim senhor, não senhor para o chefe? ahhh preciso do emprego.... Seja decidido, corre atrás, tome conta da situação........ Como um DOMINADOR pode se considerar como tal, se passa a vida amarrado nos problemas, humilhado pelo destino, submisso as condições que ele mesmo não é capaz de dominar? Me perdoe quem acha que BDSM não tem nada a ver com a vida baunilha, o que vi e vivi, também não tem nada de mundinho virtual... quem pensa assim não respeita o estilo de vida BDSM, normalmente são pessoas fracas e covardes que se escondem atrás de regras que lhe convêm.

 

O Switcher,  o switcher, não é propriamente um dominante e nem um submisso, ele é os dois e não é nenhum, é um pouco complicado para quem tem modelos fixos de postura na mente, ele normalmente transita nas duas posições conforme o parceiro lhe desperta o desejo, é muito comum um SW ser submisso de um Top e ele mesmo possuir bottons, que raramente presenciam o na posição de submisso, assim como normalmente o Switcher não disponibiliza suas subs para o seu TOP.

 

O SÁDICO e o Masoquista,  a postura de sádico ou masoquista, independe de ser dominador, submisso ou switcher, eles estão ligados a proporcionar dor e receber dor, normalmente estão mais ligados ao momento, mas nada impede de terem um postura  definida, muito masoquistas se colocam na posição de submisso, o famoso submisso rebelde, ou brat como chamam agora, na verdade é um masoquista que não quer assumir essa verdade, fica provocando o Dominador e recebendo castigos cada vez mais intensos.

 

A Masoquista iniciante tem muita dificuldade de se encontrar no meio BDSM, já que a maioria dos praticantes não são maduros o suficiente para entende las, ela necessariamente não é uma submissa, mas acaba sendo obrigada a se portar como tal, o que muitas vezes não da prazer para a mesma, que só tem prazer de se submeter com o objetivo de ter praticas doloridas,  sendo varias vezes acusada de não ser uma praticante de BDSM. Masoquistas não precisam se portar como submissas, elas podem sim dentro do universo BDSM, dizer.... "eu não sou submissa e não sou Domme, nem mesmo SW, sou MASOQUISTA".

 

MESTRE YoY.